A gente se reconhece nas artes.

i

t

f

 

Imprensa

Música | Liderança e Educação

Música: mais do que expressão

 

Precisamos ampliar o alcance da orquestra para fora do concerto, na comunidade, nas escolas, fazendo a população – que é quem paga por isso através dos impostos – entender que a orquestra está lá para elas. – Mark Pemberton, Association of British Orchestras (ABO)

 

O maestro e compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos disse é preciso fazer o mundo inteiro cantar, pois a música é tão útil quanto o pão e a água. Mas sua utilidade vai muito além da expressão de emoções e sentimentos; ela expressa características e valores da cultura e é um poderoso agente de representação – e transformação – social. O programa Transform criou uma série de projetos em Música, Liderança e Educação que estimulam a um só tempo o intercâmbio artístico entre o Brasil e o Reino Unido, troca de experiências, educação e inclusão social através da música.

 

Para além da zona de conforto

A música é dinâmica, e assim como a sociedade, se expande em gêneros e estilos. E mesmo organizações musicais mais tradicionais, como as orquestras, se deparam com novos desafios num mundo em constante transformação. Como responder a ambientes urbanos tão dinâmicos, como criar e fortalecer o vínculo com o público e como se relacionar com os espaços públicos são apenas algumas das perguntas que as orquestras se colocam. Para refletir sobre questões tão importantes ao setor, o British Council lançou, em 2014, o Transform Orchestra Leadership, programa de desenvolvimento profissional que prevê a criação de políticas públicas, educação, fomento de jovens talentos musicais e impacto econômico.

Luiz Coradazzi

Diretor de Artes, Brasil

Sabrina Candido

Gerente de Artes para Música e Filme

6,500

estudantes de música beneficiados pelos programas de música

750

músicos profissionais participaram das Conferências Internacionais Multiorquestra

07

residências artísticas com músicos brasileiros e escoceses

Durante a Conferência Internacional Multiorquestra, as duas nações se uniram em torno da criação de uma agenda comum. Em 2014, o tema foi Talento, Gestão e Impacto, com presença marcante da Aurora, uma das orquestras de câmara mais importantes da Europa famosa por desenvolver projetos em escolas, hospitais e comunidades. A orquestra fez apresentações em São Paulo e Belo Horizonte e ministrou um workshop de composição para alunos do Projeto Guri Santa Marcelina que resultou na composição e apresentação de três peças. “Muito do trabalho da Aurora tem a ver com colaboração e isso se estende também ao trabalho com os jovens, algo que realmente nos inspira e faz fruir nossa criatividade”, diz John Harte, Diretor Artístico da orquestra.

“A arte transforma os seres humanos. Faz eles usarem mais seu potencial, irem mais fundo naquilo que são capazes de fazer, explorar partes que eles nem sabem que tem.”

Cláudia Toni, Gestora Cultural

Em 2015, o tema da conferência foi A Orquestra e a Cidade e o evento foi aberto pela Scottish Ensemble, orquestra de cordas profissional do Reino Unido conhecida por seu trabalho de engajamento com a comunidade e por apresentar-se em locais acessíveis. “As pessoas que estão aqui e as que vão se juntar a essa conversa no futuro próximo tem um amor muito forte pela música e uma crença muito grande de que a música e a prática musical transformam as pessoas e as cidades”, diz Luiz Coradazzi, Diretor de Artes do British Council.  Em sua terceira edição em 2016, a Conferência contou com apresentações da Royal Northern Sinfonia. O programa, com o tema Modo(s) de Usar, também encorajou a criação de uma instituição brasileira de trocas profissionais como a britânica Association of British Orchestras (ABO). “ Ver um setor se unir, formar seu organismo profissional pela primeira vez é incrivelmente inspirador”, disse Cathy Graham, Diretora de Música e Projetos Estratégicos do British Council diante da criação da Associação Brasileira de Orquestras na edição de 2015.

Ferramenta de socialização e aprendizagem

Outro importante projeto dentro do Transform é o World Voice Brasil, programa de capacitação de professores para o uso do canto em sala de aula desenvolvido pelo British Council em 12 países. “O World Voice acredita que o desenvolvimento musical dos alunos é uma ferramenta importante de apoio à aprendizagem em geral. O objetivo do workshop com os professores é que eles se sintam capacitados para aplicar também a música em sala de aula”, explica Sabrina Candido, Gerente de Projetos do British Council. O World Voice procura aprender a cultura local de cada país que visita, onde são selecionadas duas músicas tradicionais dessa cultura, e levá-la adiante através da criação de um banco de canções (songbook) do projeto. Estima-se que para cada professor treinado, um número muito maior de crianças e jovens são impactados. “Pensar que eu posso me juntar à ideia de uma pessoa ou grupo de pessoas de outro país para contribuir com o ensino de música no meu país é genial”, comenta Daniele de Almeida, selecionada para atuar como Young Leader e multiplicadora do programa.

 

VIDEO: Conferência Internacional Multiorquestra 2014

Confira mais videos do Transform [+]

As relações e os espaços

O Transform também apoia o intercâmbio entre festivais brasileiros e britânicos, como o carioca Novas Frequências, que estabeleceu uma rica relação de troca curatorial com o escocês Counterflows, em Glasgow, com a presença de artistas brasileiros em vários de seus palcos.  Outra parceria importante se deu entre o festival também carioca Multiplicidade, que explora arte visual e sonoridade experimental em espetáculos multimídia, e o escocês Sonica, que apresenta talentos emergentes e os já consagrados das artes sonoras, por meio de residências artísticas entre os dois. O British Council também apoia a participação de artistas escoceses no MIMO (Mostra Internacional de Música em Olinda), festival de world music realizado anualmente em cidades históricas brasileiras.  O apoio a festivais não só consolida o intercâmbio artístico entre as duas nações como também democratiza o acesso à música, dá oportunidade a novos talentos, aprimora a formação de nossos artistas e aproxima os povos através de uma linguagem universal.

DESTAQUE
Conversas Transformadoras

“A arte transforma os seres humanos." Claudia Toni

Claudia Toni, Gestora Cultural especialista em políticas públicas para as artes e ex-Diretora Executiva da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp, fala sobre como foi seu trabalho de parceria junto com o British Council no projeto Transform Orchestra Leadership.

LEIA MAIS

Conheça as demais áreas de atuação do Transform:

| Música | Museus | Dança e Teatro | Cinema e Literatura |

| Economia Criativa e Capacitação | Acessibilidade e Direitos Humanos |